Visite nossas redes sociais

Capa

TAXA DE JUROS ATINGE A MENOR MARCA HISTÓRICA

Publicado

em

ECONOMIA – TAXA DE JUROS

Com inflação em baixa e retração da atividade econômica, Banco Central reduz a SELIC ao patamar mais baixo desde 1986

Em março de 2018, o banco central nasce uma nova redução na taxa básica anual de juros chamado SELIC. Foi a 12ª baixa consecutiva no índice, que atingiu 6,5% ao ano, ao menor patamar desde o início da série histórica, em 1986. A queda acentuada nos juros chamar atenção pelo fato de o Brasil ter convivido com elevadas taxas nos últimos anos.
O controle sobre a taxa de juros é um dos mais importantes instrumentos da política econômica de um governo. Isso porque o aumento ou a redução dos juros tem implicações diretas sobre a inflação e o crescimento da economia de um país. Portanto, A decisão do Banco Central deve ser analisada a partir da recente conjuntura recessiva, no qual o produto interno bruto (PIB) brasileiro e começa a se recuperar após um longo período de retração.

JUROS
Os outros podem ser entendidos como o custo do dinheiro, ou seja, o valor a mais que alguém que toma um empréstimo pagar que emprestou o dinheiro que se Empresta se chama crédito, que é essencial para movimentar a economia, garantindo recursos para que empresas façam investimentos e consumidores adquiriram bens e serviços.
Quando o banco central anuncia uma queda nos juros, na prática Isso significa que o órgão irá aumentar a quantidade de moeda em circulação, O que torna a oferta de crédito mais farta-com mais dinheiro na economia, fica menos honesto obter empréstimos; quando juros sobem, ocorre o contrário: diminui a circulação de dinheiro e sobe o custo do crédito.

INFLAÇÃO
A definição da taxa de juros pelo banco central tem como objetivo cumprir a meta de inflação estipulada anualmente pelo governo. A inflação é a elevação geral dos preços e costuma ter um efeito perverso na economia porque diminui o valor de compra do dinheiro. Em 2015, a inflação oficial acumulada chegou a 10,67% O que significa que um produto simbólico que custava R$ 100 em janeiro daquele ano passou a custar R$ 110,67 em dezembro.
Diante do aumento seguido dos preços, ao banco central Doutor política de juros altos chegou a 14,25% entre 2015/2016 como ficou mais caro contratar empréstimos, os investimentos das empresas e o consumo das pessoas estarem cara. Contribuíram também para queda no consumo a recessão e o desemprego, que provocaram uma significativa concentração na renda da população.
Neste cenário, inflação perdeu força em 2016 e atingiu 2,95% em 2017, ficando, inclusive, abaixo da Meta para aquele ano, que era de 4,5%. Com os preços relativamente sobre controle, o banco central percebeu que havia margem para reduzir ainda mais a SELIC em 2018, até atingir a baixa Histórica de 6,5% em março.

INFLAÇÃO EM BAIXA
Os juros e a recessão exerceram menos pressão sobre os preços, estimulando as promoções

Atividade econômica
Outros fatores decisivos para o banco central reduziu a taxa de juros foi a prolongada recessão que abateu o país. O PIB brasileiro, que a soma do valor de todos os bens e serviços, produzidos e distribuídos e consumidos no país, despencou 8,2% entre o segundo trimestre de 2014 e o quarto trimestre de 2016.
Em cenário de retração Econômica ocorre que as empresas têm desconfiança em contrair crédito para investir na produção e as pessoas ficam mais reticentes em ir às compras, devido à falta de garantia de que terão como arcar com os juros dos financiamentos. A redução da SELIC foi vista como uma importante ferramenta para retomar a atividade econômica dos financiamentos mais baixos atraem consumidores; O aumento na demanda estimula as empresas a investir na produção, fazendo engrenagem da economia girar novamente.
No entanto, a SELIC é apenas a taxa de referência para o custo do crédito no Brasil, o que não significa que todos os empréstimos contraídos no mercado terão uma cobrança de 6,5%. Isso porque os bancos ainda embutem no valor do empréstimo os custos operacionais (e salários e impostos etc.), O risco de inadimplência e o seu próprio lucro com a operação. É por isso que os juros do cheque especial e do cartão de crédito costumam ser bem maiores do que a SELIC. Dessa forma, mesmo com a queda histórica na taxa básica dos juros igual ao custo médio dos empréstimos nos Bancos era de 33% ao ano em abril, o que dificulta a obtenção de crédito para o consumidor geral.

Juros reais elevados
Apesar da queda na SELIC, o Brasil continua entre os países que aplicam as mais altas taxas de juros reais, ou seja, descontada a inflação. Até maio de 2017 o Brasil era líder em juros Real em um aqui de 40 países compilados pelo site MoneYou. Com a política de redução dos juros, o Brasil passou para sétima posição-sua melhor colocação desde que o levantamento começou a ser feito, 13 anos. Em junho, o ranking era liderado pela Argentina, com 23,89% ante 2,91% do Brasil.

SAIU NA IMPRENSA
LUCRO DOS BANCOS REPRESENTA 14% DO CUSTO DO CRÉDITO EM 2017, DIZ BC
A margem financeira dos bancos, ou seja, seu lucro, representa 14,04% do custo do crédito em 2017, informou o banco central nesta terça-feira (12) por meio do relatório de Economia bancária. (…)
De acordo com a instituição, o componente da inadimplência é aquele que tem mais peso na definição do custo do crédito, respondendo por 38,27% do total no ano passado, seguido pelas despesas administrativas (25,55%) e tributos e fundo garantidor de crédito (FGC) – com 22,13%.
O BC informou que, quanto maior a taxa de inadimplência “maior a taxa de juros necessária para cobrir a perda com a inadimplência”. (…)
Com relação aos chamados os custos administrativos, diretor de política econômica do BC, Carlos Viana, afirmou que evidências sugerem que o valor é “relativamente alto” no Brasil o. “tem a ver com questões trabalhistas, de segurança (…)”, Disse. (…)

RESUMO
Juros e inflação
JUROS Os juros são os valores a mais que alguém que toma um empréstimo pagar que emprestou. O controle sobre a taxa de juros tem implicação direta sobre a inflação e o crescimento da economia. No Brasil, o banco central define regularmente a taxa básica de juros (SELIC), que em março de 2018 atingiu 6,5% ao ano, o menor patamar desde o início da série histórica, em 1986.
INFLAÇÃO A inflação é a elevação Geral de preços, chegou a atingir 10,67% em 2015 para controlar os preços, o banco central e levou a SELIC entre 2015 e 2016, como forma de restringir o crédito e reduzir o consumo. A queda na renda provocada pela Redenção também afetou a demanda e, com isso, inflação caiu: em 2017 fechou em 2,95%, abaixo da Meta.

RETOMADA DO CRESCIMENTO
A taxa de juros também é utilizada para estimular a economia. A reduzir os juros, o crédito se torna mais barato, estimulando a aquisição de empréstimos para empresas e pessoas, o que faz a roda da economia girar com o aumento da demanda e da produção. No entanto, os juros cobrados pelo mercado ainda não refletem a queda na taxa SELIC, pois os bancos embutem os custos da operação na taxa que disponibiliza as pessoas.

Continue lendo
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Capa

Se liga nessas dicas para o ENEM 2020!

Publicado

em

Escrito por

O psicólogo Rafael Camargo deu dicas para controlar a ansiedade em relação ao ENEM no site Guia do Estudante. Você quer receber algumas delas por aqui?

DICA 1: Deixe as questões mais difíceis para o fim. Passar muito tempo se estressando com algo que você não sabe pode te atrapalhar na hora de responder o que você sabe.

As três questões mais difíceis do Concurso de Técnico do TRF-4 - Segredos de Concurso

Distribuição aberta – TRF-4

DICA 2: A primeira coisa a fazer pra controlar o nervosismo é exatamente perceber que você está em um momento de ansiedade. Ao perceber algum sinal, como pernas inquietas, boca seca, mãos suando, tremores, entre outros, pare um pouco.

Como Superar o Medo e a Ansiedade na Hora da Prova?

https://segredosdeconcurso.com.br/

DICA 3: Pra controlar os sinais de nervosismo, você pode fazer um exercício de respiração.

🟡 Inspire o ar até sentir sua barriga se movimentando;
🟡 Expire devagar;
🟡 Repita algumas vezes até se sentir melhor.

Boa sorte!

Continue lendo

Capa

Rede Municipal de Ensino está com matrículas abertas para novos alunos

Publicado

em

Escrito por

O período de matrículas da rede municipal de ensino de Parauapebas para novos alunos já começou e segue até o dia 18 de janeiro. Para alunos do ensino fundamental (1° ao 9° ano) e pré-escola/educação infantil (alunos de 4 e 5 anos), as matrículas ocorrem de 7 a 11 de janeiro, enquanto que para os estudantes das creches (alunos dos 9 meses a 3 anos e 11 meses de idade), elas serão realizadas de 14 a 18 e seguirão critérios estabelecidos pelo decreto municipal de número 2305/2017.

Aqueles que desejam efetuar a matrícula devem comparecer à unidade educacional de sua preferência munidos das cópias dos seguintes documentos: certidão de nascimento ou carteira de identidade, CPF (para aquelas que já o possuem); carteira de vacinação (para alunos da educação infantil), comprovante residência, cartão do Bolsa Família (caso seja beneficiário), além de 2 fotos 3×4 e do Histórico Escolar ou a Ressalva de Transferência (quando o aluno é procedente de outra unidade).

O atendimento ao público ocorre de segunda a sexta-feira, no horário estipulado por cada unidade para melhor atender a comunidade. A maioria das escolas está realizando as matrículas de 8h às 14h.

Creches com vagas disponíveis:
Este ano, 16 escolas estarão recebendo alunos com idades a partir dos três anos, são elas: Dona Rosa, Comecinho de Vida, Zilda Arns, Moranguinho, Criança Esperança, Ana Maria Machado, Deyse Lorrena, Gente Inocente, Mundo Infantil, Monteiro Lobato, Pequeno Príncipe, Pingo de Gente, Sorriso de Criança, Turma da Mônica, Vovó Ana e Maria Salete.
As creches Ribamar Leite (Popular II) e Leide Maria Torres (Jardim Canadá) estão disponibilizando vagas para alunos dos 9 meses a 3 anos e 11 meses de idade.

Critérios para matrículas nas creches: As matrículas dos alunos com idade de ingresso em creche são regulamentadas pelo Decreto municipal de número 2305/2017. Ele estabelece critérios específicos, objetivando priorizar as famílias de baixa renda. Por isso, as matrículas destes estudantes ocorrerão em três etapas: inscrição, seleção (realizada por uma comissão) e confirmação de matrícula.

Para a inscrição, os pais ou responsáveis deverão comparecer à escola munidos de originais e cópias dos seguintes documentos: certidão de nascimento da criança; comprovante de residência em nome dos pais ou do responsável legal do aluno; carteira de Identidade, CPF e carteira de trabalho do pai, mãe ou responsável; número de inscrição no Cadastro Único e comprovante de renda de todos os membros da família.

Para fins de seleção e matrícula, serão considerados os seguintes critérios: número de inscrição do Cadastro Único (renda total da família constituída); condição de moradia da criança; contexto familiar; ausência dos pais ou responsáveis legais, e demais adultos com famílias constituídas, por necessidade de atividade remunerada; idade da criança e a data que realizou a inscrição; e relatório da comissão.

Etapas do processo de seleção para matrículas em creches:
No período de 21 de janeiro a 7 de fevereiro, a comissão devidamente constituída pelos seguintes membros: um assistente social da Semed; dois representantes do setor de Educação Infantil da Semed; um representante do Conselho Municipal de Educação, fara a análise dos documentos e elaborará o relatório de conclusão do processo.

Após a análise do relatório formalizado pela comissão, as unidades educacionais informarão aos responsáveis sobre as inscrições deferidas e indeferidas, para que as confirmações das matrículas sejam efetivadas até o dia 8 de fevereiro.

Em 2019, a Secretaria Municipal de Educação (Semed), responsável por uma das maiores redes de ensino da região, está prevendo receber mais de 1.500 novos estudantes no ensino fundamental e na educação infantil (creche e pré-escola).

Mais informações sobre as matrículas poderão ser obtidas diretamente nas unidades escolares nas quais se pretende realizar a matrícula.

 

Texto : Messania Cardoso | Semed – Assessoria de Comunicação – Ascom | PMP

Continue lendo

Atualidades

Pré-matrícula para a rede estadual de ensino ocorrerá entre 14 de dezembro e 9 de janeiro

Publicado

em

Escrito por

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) estará disponível para atender as demandas de pré-matrícula que se iniciam na próxima segunda-feira, 14 de dezembro, e seguem até 9 de janeiro de 2021. Neste momento, a demanda é exclusiva para alunos que ainda não fazem parte da rede estadual de ensino. A expectativa é de que a oferta para este ano fique entre 100 mil a 166 mil novas vagas. A rede atende, atualmente, 576 mil alunos nas 927 escolas em todas as regiões do Pará

O processo de pré-matrícula ocorre no site www.seduc.pa.gov.br, de segunda a domingo, ou por meio da Central de Atendimento 08002800078, das 8 às 18 horas, de segunda a sexta-feira. Logo após o encerramento da fase de pré-matrícula, a Seduc fará a etapa de confirmação da matrícula.

Os documentos necessários para a confirmação são: original e cópia da certidão de nascimento, da certidão do registro civil ou do RG, original e cópia do CPF e do comprovante de residência atual, duas fotos 3×4 recentes, carteira de vacinação (crianças); carteira de vacina (jovem) e cartão de vacina (adulto), Cadastro Único /CADUNICO – somente a cópia da folha da frente (folha resumo), além do original da ressalva ou do histórico escolar.

Em decorrência da pandemia do novo coronavírus, todos os alunos da rede estadual matriculados em 2020 serão rematriculados em 2021, na série subsequente. Caso o aluno queira ser transferido para outra escola, deverá procurar a secretaria da escola na qual está matriculado para fazer a referida solicitação.

CALENDÁRIO

– 14/12/2020 a 09/01/2021: Pré-matrícula novos alunos

– 11/01 a 02/02/2021: Período de confirmação das novas matrículas

– 11 a 15/01/2021: Confirmação de novos alunos com deficiência

– 18 a 25/01/2021: Confirmação de matrícula de novos alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental; das turmas multisseriadas dos anos iniciais do Ensino Fundamental I; da 1ª a 4ª etapa da Educação de Jovens e Adultos (EJA) Fundamental, Saberes da Terra – Fundamental, Some Fundamental, Educação Infantil Indígena – Pré-Escola, Educação Indígena Ensino Fundamental I e II, e 1ª à 4ª etapa da EJA Fundamental Indígena, Ensino Médio Regular.

– 26/01 a 02/02/2021: Confirmação de matrícula dos alunos novos do Ensino Médio Regular (1º a 3º série); 1ª e 2ª etapas da EJA Médio, SEI, Some Médio, Ensino Médio EJA Campo, Educação Indígena Ensino Médio.

A partir do dia 03/02/2021 até o dia 03/03/2021 – Matrícula de novos alunos sem pré-matrícula, na própria escola, considerando o saldo de vagas remanescentes.

FONTE: https://agenciapara.com.br/noticia/23939/

Continue lendo

Trending