Visite nossas redes sociais

Notícias

Enem: ‘Se houver necessidade de alterar a data da prova, faremos isso’, afirma presidente do Inep

Publicado

em

RIO – “Já existe uma desigualdade que vem de toda a educação básica e não é o Enem sozinho que corrige isso”, afirma Alexandre Lopes, presidente do Inep, autarquia do Ministério da Educação (MEC) responsável pela aplicação do exame. Em entrevista ao GLOBO, Lopes afirmou que o importante é garantir que as provas aconteçam e que mudanças serão feitas à medida que se mostrarem necessárias em termos técnicos.

O presidente do Inep também cobrou uma ação dos secretários estaduais e seus respectivos governos: “Eles estão fazendo seu papel para garantir a inscrição dos alunos?”, questionou.

“A decisão da Justiça sobre mudanças no cronograma do Enem se baseia no fato de que as condições de acesso ao ensino a distância são desiguais para os estudantes brasileiros. Manter a data do exame não prejudica estudantes de escolas públicas e de baixa renda?”

Mais à frente, se de fato houver razões técnicas para isso, a data do Enem poderá ser alterada. Mas, por enquanto, isso não é necessário. É preciso entender que o exame é porta de entrada não só para universidades públicas, mas também para outras políticas públicas para pessoas de baixa renda, como as cotas, o Fies, o ProUni. A sociedade fica muito mais prejudicada sem o Enem. A data pode ser mudada lá na frente, mas isso tem que acontecer por questões técnicas. Já existe uma desigualdade que vem de toda a educação básica e não é o Enem sozinho que corrige isso.

É preciso pensar não só no calendário do ensino médio, mas também no do ensino superior. Se o exame fosse adiado em um mês, o resultado sairia em fevereiro e o Fies só ficaria pronto em abril. O calendário das universidades vai ser modificado dessa forma? E se eu esperar as aulas voltarem para pensar em uma nova data? As universidades vão começar o ano letivo de 2021 em junho, só depois do Fies?

“Se as aulas ainda estiverem suspensas em maio, mês das inscrições do Enem, é possível que nessa ocasião seja determinada uma nova data para o exame?”

Não necessariamente. Falta ainda um mês até 22 de maio, que é a data de encerramento das inscrições. Quando essa data chegar, teremos um cenário para analisar e decidir. O calendário do Enem é muito apertado, são etapas encadeadas e, quando você atrasa uma delas, acaba atrasando tudo lá na frente.

As pessoas (que criticam) estão querendo tumultuar, é isso que o ministro (da Educação, Abraham Weintraub) tem falado. Nós tivemos o período para pedidos de isenção de pagamento da taxa. Houve dúvidas se todos os estudantes conseguiram fazer por causa da pandemia e da suspensão das aulas? Sim. Então alteramos o edital (a concessão da gratuidade será dada pelo Inep, sem necessidade de solicitação do participante, durante o período de inscrições). Vamos tratando as questões à medida que elas vão surgindo.

Mas os governos estaduais estão fazendo o seu papel para garantir a inscrição dos seus alunos? Os estados estão fazendo sua parte ou está todo mundo em casa esperando que o Enem seja cancelado?

Se o aluno de uma escola pública que se enquadra na política de cotas deixar de fazer o Enem, isso representa um enorme prejuízo para ele. Será que as universidades públicas não poderiam aumentar a quantidade de vagas para alunos de escolas públicas no ano que vem?

“Houve a decisão da Justiça em São Paulo e há outras ações em curso para que o exame seja adiado. Como o Inep vê a judicialização dessa questão?”

Com muita naturalidade. Isso ocorre em relação a todos os exames e avaliações que o Inep faz, como o Encceja, o Enade, entre outros. Em um estado democrático, as pessoas têm o direito de acessar o Judiciário. De um modo geral, o Inep tem sido bem sucedido nessas ações. O que pedimos é a oportunidade de sermos ouvidos. O que a Justiça decidir, nós cumprimos. Mas a Defensoria Pública da União também vai propor ação por causa da Fuvest, que já anunciou que não vai adiar suas provas?

“A equipe técnica do Inep teria se posicionado a favor do adiamento do Enem? Isso de fato ocorreu?”

Não. Nós preparamos diversos estudos técnicos, traçamos cenários diversos até em função das ações judiciais. Mas o Inep está alinhado, temos uma posição só. Teremos o Encceja, o Enade, o Enem, mas estamos adequando o nosso trabalho à realidade do país e à crise sanitária. O importante é garantir o exame.

“Exames nacionais aplicados ao fim do ensino médio foram adiados em outros países, em razão da pandemia. Isso teria ocorrido na China, na Inglaterra, na França, entre outros. Como o Inep se posiciona em relação a isso? “

São realidades muito diferentes. Para nós, a crise chegou no início do ano, mas, para vários desses países, foi no final do ano letivo. É importante observar o que está acontecendo no mundo, mas não podemos definir o nosso calendário pelo que acontece na França, por exemplo. Pela nossa realidade, como eu mencionei antes, a Fuvest continua com o seu vestibular em novembro. Ninguém sabe como estaremos em 22 de maio (data que marca o fim das inscrições). Vamos avaliar quando chegarmos lá. O aluno tem que estar preparado. Todos estamos sendo afetados, em maior ou menor grau. Todos estão, mesmo os alunos de escolas particulares.

Continue lendo
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Movimenta Pebas exibe espetáculos de dança da Escola do Grupo Corpo

Publicado

em

Escrito por

A etapa de dança do Movimenta Pebas está de volta. A Escola do renomado Grupo Corpo, parceira do projeto, promove três espetáculos virtuais nos meses de maio e junho, disponibilizados gratuitamente pelo canal no Youtube do projeto, que conta com o patrocínio da Vale via Lei de Incentivo à Cultura. A abertura da programação trará a apresentação de dança clássica, será na próxima semana, de 18 a 24/05. Entre 25 e 31/05, será a vez da dança contemporânea. As atividades da etapa se encerram com a apresentação de espetáculo infantil, de 1 a 8/06.

Os temas das apresentações foram trabalhados durante o ano nas aulas e nas atividades complementares da escola. Os roteiros, coreografias, cenários, trilhas sonoras, iluminação e figurinos foram desenvolvidos pela direção, equipe de professores e artistas convidados. O espetáculo de dança clássica, baseado no balé Pulcinella (1920), do russo Léonide Massini, usa trechos da trilha sonora original de Igor Stravinski, para fazer uma releitura inspirada na estética da cultura nordestina.

O espetáculo de dança contemporânea “Você tem fome de quê?” aborda o drama da fome em nosso contexto social – o consumismo, os excessos e os vazios, as fomes objetivas e subjetivas. Já o espetáculo infantil traz, inspirado no teatro de bonecos, a visão das crianças sobre o mundo e a vida.

“O Movimenta Pebas mobilizou a classe artística de Parauapebas e a população em torno de diversos campos da arte. Agora, vamos coroar esta etapa do projeto com as apresentações da Escola de Dança do Grupo Corpo. Afinal, arte e cultura são puro movimento”, comemorou o coordenador e curador do projeto, Gilberto Scarpa.

Projeto oferece programação diversificada
Patrocinado pela Vale em 2020, e adaptado para promover ações também durante a pandemia, o Movimenta Pebas oferece programação diversificada e totalmente gratuita à população nas áreas de teatro, dança, música, audiovisual e artes plásticas. O projeto também investe na produção e na capacitação dos artistas locais, impulsionando a rede produtiva da cultura e gerando renda.

Em parceria inédita com a Corpo Escola de Dança, do Grupo Corpo, uma das mais renomadas companhias de dança do planeta, o Movimenta Pebas promoveu cursos on-line de balé clássico, dança contemporânea, danças populares brasileiras e história da dança para jovens e adultos, entre julho e novembro de 2020. Todas as 230 vagas disponibilizadas foram preenchidas.

Centenas de internautas também participaram de aulas abertas de dança livres, que foram transmitidas pela plataforma Youtube no ano passado.

O Movimenta Pebas já selecionou, por meio de dois concursos culturais, cinco peças teatrais de curta duração, que estão sendo montadas e gravadas com recursos do projeto, e selecionou, produziu e lançou dez videoclipes com músicas inéditas de compositores de Parauapebas. O projeto está promovendo, de modo on-line, dois cursos sobre a história do Cinema, uma mostra de curtas-metragens, e lançou edital de seleção para o programa de residência artística em artes plásticas, com foco em desenho e pintura.

O Movimenta Pebas tem patrocínio da Vale, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, apoio da Prefeitura Municipal de Parauapebas, Secretaria Municipal de Cultura, através do Centro Cultural de Parauapebas – CCP e Instituto Vivas, e é realizado pela Vivas Cultura e Esporte, Ministério do Turismo e Secretaria Especial da Cultura – Governo Federal.

Continue lendo

Educação

FNDE repassa recursos a escolas para compra de livros didáticos

Publicado

em

Escrito por

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação (MEC), realizou o pagamento de R$ 115,2 milhões referentes à aquisição de livros destinados às escolas públicas de educação básica por meio do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD). Os valores se referem ao mês de abril e constam do Balanço Mensal de Ações do FNDE, divulgado pelo próprio Fundo nesta segunda-feira (17).

O PNDL é uma ação do MEC em parceria com o FNDE, que visa avaliar e disponibilizar obras didáticas, pedagógicas e literárias, entre outros materiais de apoio à prática educativa, de forma sistemática, regular e gratuita, às escolas públicas de educação básica das redes federal, estaduais, municipais e distrital, e também às instituições de educação infantil comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos e conveniadas ao poder público.

Para participar do programa, as redes de ensino municipal, estadual, distrital e as escolas federais, representadas por seus dirigentes, devem formalizar adesão manifestando o interesse em receber os materiais do PNLD e comprometendo-se a executar as ações previstas, de acordo com a legislação. As redes de ensino e escolas federais que já têm adesão formalizada não precisam repetir o processo.

Edição: Denise Griesinger

Publicado em 17/05/2021 – 17:12 Por Agência Brasil – Brasília

Continue lendo

ENEM 2021

Inep diz estar “engajado” para que Enem seja realizado em 2021

Publicado

em

Escrito por

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou, em nota, que pretende realizar as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 este ano. A autarquia afirmou que tem orçamento suficiente para isso e que está concluindo o processo de planejamento e elaboração do cronograma do exame. “A data vai ser verificada de acordo com o andamento da pandemia”, disse o ministro da Educação Milton Ribeiro, em entrevista a jornalistas. 

Questionado se há a possibilidade do Enem 2021 ser aplicado em 2022, o Inep diz que está “engajado para que as provas sejam realizadas ainda neste ano”. Ribeiro enfatizou que, assim como houve um esforço para que houvesse a prova do Enem 2020, adiada para 2021, “o de 2021 teremos sim, com toda certeza”, enfatizou.

A nota acrescenta, no entanto: “não há, ainda, confirmação sobre a data de realização das etapas, com exceção do período para solicitação de isenção e justificativa de ausência”. Esta fase está prevista em edital publicado separadamente, de acordo com a autarquia, para facilitar a compreensão das regras específicas de gratuidade e evitar que haja problemas na homologação da inscrição dos interessados em realizar as provas. O prazo é de 17 a 28 de maio.

O Inep diz ainda que “tentar antecipar a divulgação da data de realização do exame com base em documentos preparatórios é desinformar a população”. Segundo o Inep, todas as informações sobre o exame serão publicadas nos editais, assim que houver as definições necessárias.

Por conta da pandemia, o Enem 2020 foi adiado para 2021. O exame, realizado em janeiro e fevereiro deste ano, registrou as maiores taxas de abstenção. Para a edição de 2021, a autarquia afirma que busca “excelência no processo de planejamento, com o intuito de atender a todos os requisitos sanitários e garantir uma aplicação segura a todos os envolvidos, desde sua elaboração”.

Realizado anualmente, o Enem é o maior exame para ingresso no ensino superior do país, contando com milhões de inscrições em todo o território nacional. As notas do Enem podem ser usadas para participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Matéria alterada às 17h15 para acréscimo de informação.

Edição: Aline Leal

Continue lendo

Trending