Educação em luto: entidades lamentam atentado a creche em Santa Catarina

Educação em luto: entidades lamentam atentado a creche em Santa Catarina

Na manhã desta terça-feira (4), um jovem de 18 anos invadiu uma creche em Saudades, município do interior de Santa Catarina, e causou a morte de três crianças, um professor e uma funcionária da escola. O episódio causou comoção nas redes sociais e entidades da educação prestaram solidariedade às vítimas do atentado.

De acordo com informações da Polícia Civil, o criminoso teria chegado à escola armado com um facão. Ele foi apreendido no local do crime com ferimentos no pescoço. Segundo a Polícia Militar, populares disseram que o jovem sofria bullying, mas nunca tinha estudado na creche.

Nas redes sociais, a Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina (SEESC) disse que “a educação catarinense está em luto”. Segundo a pasta, as escolas devem ser ambientes de aprendizado e alegria, por isso, é necessário ter serenidade para o acolhimento da comunidade escolar.

Em nota, o Conselho Estadual de Educação de Santa Catarina (CEE/SC) manifestou “profundo pesar e consternação” diante do ocorrido. A Polícia Militar do estado também se pronunciou nas redes sociais.

Violência e intolerância

A presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Rozana Barroso, afirma estar atordoada com a notícia. “Para nós, é terrível ver mais um caso como esse no Brasil. Nunca esqueceremos do caso de Suzano, por exemplo”, destaca. Segundo ela, o desastre, somado ao aumento das taxas de suicídio, acendem um alerta para se atentar à saúde mental dos jovens durante a pandemia.

“É um caso tão terrível e ao mesmo tempo a gente vê um país que ainda tem infelizmente um estímulo muito grande à violência e à intolerância”, explica. Ela afirma que é necessário investigar de onde veio o incentivo a esse ato, e se o assassino tem relação com algum grupo criminoso.

“Nossa solidariedade, e espera para ver como vai se desdobrar a história”, diz a presidente. “Agora, precisamos lutar para garantir o acesso à assistência, não só aos pais, mas aos profissionais da educação presentes”.

Discussão nas escolas sobre saúde mental

De acordo com a psicóloga Maria Aparecida Toledo, a exposição a um ato violento como esse impacta em questões psicológicas como: ansiedade, depressão, estresse pós-traumático e síndrome do pânico. Por isso, um acompanhamento psicológico é fundamental.

Em relação às maneiras de prevenir novos episódios, ela ressalta que são necessárias ações para além de um sistema de segurança. “Maneiras mesmo de discutir sobre saúde mental dentro da escola também. É trazer a família para mais próximo da instituição escolar”, explica.

Quanto à atuação dos docentes, Maria Aparecida aponta que a abordagem de temáticas relacionadas às questões de bullying, juntamente com campanhas educativas seria eficaz. “Se cada escola tivesse a possibilidade de ter um atendimento psicológico seria preventivo e eficiente, e traria com certeza esses alunos para mais próximo”.

Undime-SC presta reconhecimento por ato heroico dos profissionais da escola

A União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação de Santa Catarina (Undime-SC) lamenta a tragédia e presta reconhecimento pelo ato heroico dos profissionais da creche, “que com coragem e braveza empenharam seus melhores esforços na tentativa de proteger a segurança das crianças de Saudades”.

Em nota, a Undime se colocou à disposição e se solidarizou com as famílias, moradores atingidos pela tragédia e à Dirigente Municipal de Educação de Saudade/SC, Gisela Hermann.

É com profundo pesar que a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação de Santa Catarina (Undime/SC) relata a tragédia que atingiu o município de Saudades, no Oeste do estado, na manhã desta terça-feira (04/05). Cinco vidas foram perdidas num bárbaro ataque à creche municipal Pró-Infância Aquarela, que deixou como vítimas três crianças de apenas um ano e duas professoras.

A Undime/SC presta seu mais profundo reconhecimento pelo ato heroico das professoras e profissionais da educação da creche municipal Pró-Infância Aquarela, que com coragem e braveza empenharam seus melhores esforços na tentativa de proteger a segurança das crianças de Saudades.

Colocando-nos à disposição, manifestamos também nossa solidariedade às famílias, a todos os munícipios atingidos pela tragédia e à Dirigente Municipal de Educação de Saudade/SC, Gisela Hermann. A Undime/SC está em luto pelas vidas perdidas no ataque.

Deixe uma resposta