Visite nossas redes sociais

Educação

Câmara aprova projeto que prevê educação como serviço essencial

Publicado

em

O projeto que prevê a reabertura de escolas e faculdades durante a pandemia (PL 5595/20) foi alvo de disputa durante 7 horas de votação no Plenário da Câmara dos Deputados. Aprovado pelos parlamentares, o texto torna educação básica e superior serviços essenciais – aqueles que não podem ser interrompidos durante a pandemia. O projeto seguirá para o Senado.

A proposta proíbe a suspensão de aulas presenciais durante pandemias e calamidades públicas, exceto se houver critérios técnicos e científicos justificados pelo Poder Executivo quanto às condições sanitárias do estado ou município.

A relatora do texto, deputado Joice Hasselmann (PSL-SP), incorporou emendas que estabelecem protocolos para o retorno escolar. Ela destacou que muitas crianças da periferia, fora da escola, não têm alimentação adequada e não estão necessariamente isoladas.

“Alguém realmente acha que a escola é um local menos adequado que essas comunidades, onde as crianças, muitas vezes, passam os dias empilhadas, ou em creches e escolinhas clandestinas? Porque os pais têm que trabalhar de alguma forma. Então, se nós queremos cuidar das nossas crianças, elas têm que estar na escola”, afirmou.

A deputada Aline Sleutjes (PSL-PR) também defendeu a medida. Ela destacou que os protocolos para o retorno seguro às aulas presenciais já foram definidos pelo Ministério da Educação.

“Este projeto é de suma importância para a vida do cidadão brasileiro. Para aquela mãe ou para aquele pai que não tem onde deixar o seu filho. Para aquela mãe ou aquele pai que é analfabeto e que não pode colaborar com a educação domiciliar. Para aquele pai ou aquela mãe que não tem conexão, computador e, como muitos disseram aqui, não tem água nem luz às vezes”, afirmou.

Autora da proposta, a deputada Paula Belmonte (Cidadania-DF) também destacou que o texto foi alterado para garantir segurança. “O PCdoB pediu para que inserisse protocolo, a deputada Joice colocou. Outro partido pediu para colocar priorização da vacina, a deputada Joice colocou”, destacou.

Na avaliação do deputado Tiago Mitraud (Novo-MG) é falso deduzir que a proposta obriga a reabertura imediata das escolas. “Muita fake news está sendo feita em cima deste projeto”, alertou.

Tiago Mitraud criticou a mobilização sindical contra a proposta. “O que nós estamos falando aqui é sobre qual é a indignação que o brasileiro quer ter: de ter as crianças fora da sala de aula ou de, mais uma vez, ter que se submeter aos interesses das corporações dos sindicatos”, disse.

Presidente da Comissão de Educação da Câmara, a deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) foi à tribuna criticar a proposta. Ela lembrou que o texto não está restrito à educação infantil, onde há respaldo de pouca transmissão entre as crianças, e que o retorno presencial mobiliza professores e funcionários que usam transporte público e estão, portanto, mais expostos ao vírus.

“É indiscutível o prejuízo para a educação com a pandemia, mas 49% das escolas não têm saneamento básico, não têm água, não têm ventilação”, afirmou.

Para Professora Dorinha, a proposta não vai realmente tornar a educação prioridade. “A nossa preocupação é que a educação seja prioridade de investimento, de política, de formação. Não é este projeto, no formato em que ele está”, disse.

Ela defendeu a votação de um outro projeto (PL 2949/20), que estabelece diretrizes para o retorno escolar, mas mantém a definição sobre abrir ou não as escolas sob responsabilidade do gestor.

Esse projeto alternativo também foi defendido pela líder do PSOL, deputada Talíria Petrone (PSOL-RJ). Para ela, o texto aprovado prioriza interesses privados, já que os parlamentares que o defendem não foram favoráveis a investimentos na adaptação da infraestrutura educacional para a pandemia ou para expansão de acesso à internet pelos alunos.

“Aqui, lamentavelmente, aqueles que agora dizem, fingem dizer, que acham a educação essencial são os mesmos que corroboram com 70% a menos do Orçamento para educação. Temos um dos menores orçamentos do MEC para educação básica. Sinceramente, isso é conversa para boi dormir, é colocar nossos alunos para morrerem nas salas de aula”, condenou.

O deputado Idilvan Alencar (PDT-CE) disse que os deputados e as instituições ligadas à educação vão lutar contra o projeto em todas as esferas possíveis. “Esse projeto é a cara do Bolsonaro, autoritário, sem discussão, negacionista. Eu quero ver a cara desses deputados que votarem a favor quando começarem a morrer professores”, comentou.

Continue lendo
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Parauapebas: Prefeitura entregou mais uma Escola de Educação Infantil

Publicado

em

Escrito por

A Prefeitura de Parauapebas entregou, nesta terça-feira (25), mais uma escola de Educação Infantil para a comunidade da Capital do Minério. A solenidade de inauguração ocorreu às 16 horas e, devido às restrições sanitárias por conta da pandemia, foi transmitida por meio de Live.

A Escola de Educação infantil Jonas Barros do Amaral está Localizada na Avenida B, Quadra 286, Lote Especial, no Bairro Cidade Jardim. A instituição atenderá cerca de 240 crianças com idade entre 1 e 3 anos, em dois turnos: matutino e vespertino.

A nova creche faz parte do programa Proinfância do governo federal, construída em parceria com o governo municipal. Segundo a prefeitura, o novo espaço é amplo e confortável e é constituído por oito salas de aula, sala dos professores, sala multiuso, lactário, fraldário, sala de alimentação, cozinha industrial, lavanderia, copa, banheiros, brinquedoteca, parquinho, além do bloco administrativo, tudo com acessibilidade.

Continue lendo

Educação

Estudantes de Parauapebas são preparados para a OBA

Publicado

em

Escrito por

Nos dias 27 e 28, ocorre, em todo o país, a prova da 24ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), organizada pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e Agência Espacial Brasileira (AEB) para estudantes do Ensino Fundamental e Médio.

Os alunos da rede municipal de ensino de Parauapebas já estão sendo preparados para a avaliação, há algum tempo, por meio de revisão de conteúdos e atividades. E ontem, 24, às 19 horas, ocorreu uma Live de revisão de conteúdo e incentivo à participação. O evento intitulado “OBA 2021 – Um bate-papo astronômico” contou com a participação de educadores e convidados especiais.

O evento obteve uma ótima interação com o público estudantil, alcançando centenas de acessos instantâneos e milhares de visualizações. Segundo a técnica de Ciências da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Leilane Bicho, a Live alcançou os objetivos propostos. “Nossas expectativas foram superadas, principalmente no sentido de engajamento e participação. Assim, acreditamos que haverá uma maior participação dos alunos nesta edição da OBA”, destaca.

O professor Paulo Roberto, da escola Municipal de Ensino Fundamental Faruk Salmen, também participou da Live. Durante o evento, ele reforçou a importância das olimpíadas e o quanto o município tem procurado organizar os alunos para a prova. “A nossa ideia é preparar os alunos das mais diversas formas possíveis e a Live é mais uma ferramenta”, comenta.

 

Mobfog

Paralelamente à OBA ocorre a Mostra Brasileira de Foguetes (Mobfog), que já está em sua 15ª edição. A iniciativa tem caráter experimental. Para participar, os alunos precisam construir e lançar seus foguetes a partir de uma base de lançamento, sendo que as melhores marcas obtidas por cada criança são enviadas para a avaliação e classificação da Mobfog.

Muitas escolas municipais também estão estimulando a participação de seus alunos na Mostra e os lançamentos já estão sendo realizados. Na manhã de ontem, 24, dezenas de alunos da escola Luiz Magno de Araújo marcaram presença na praça do Bairro Alvorá, zona sudeste, para realizarem seus lançamentos.

A aluna Whany Agatha Couto Dias, do 8º ano, construiu um belo foguete e já na segunda tentativa alcançou a distância de 100 metros. “É a primeira vez que participo da Mobfog e está sendo uma experiência incrível. Aprendi muitas coisas interessantes e ainda poderei conquistar uma medalha. Estou muito feliz em participar”, afirma a estudante.

Continue lendo

Educação

Departamento de valorização dos servidores da Semed oferece diversos serviços

Publicado

em

Escrito por

Em 2021, o Departamento de Valorização do Servidor, da Secretaria Municipal de Educação (Semed), ampliou o leque de serviços e passou a oferecer atendimentos diversos aos profissionais da pasta.

Segundo a coordenadora do Devass, Kelly Betânia Reis, o departamento busca proporcionar ações de valorização e apoio aos servidores da Semed, com vistas às práticas de autocuidado e melhoria da qualidade de vida. “Temos uma equipe multidisciplinar, composta por esteticista, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, psicólogo, educador físico e neuropsicopedagogo, disposta a orientar e contribuir com a saúde física e mental de nossos servidores, além de promover ações preventivas e de melhoria da qualidade de vida e autoestima”, ressalta a coordenadora.

O secretário de Educação, Leal Nunes, lembra que a Prefeitura de Parauapebas já instituiu há bastante tempo uma política de valorização dos servidores e que o Devass vem somar com a estratégia. “Precisamos valorizar e cuidar melhor daqueles que trabalham em prol de toda a sociedade, o servidor público. A Semed tem buscado dar atenção especial a seus profissionais, e todos nós carecemos de cuidados, principalmente neste momento em que estamos vivendo”, destaca o gestor.

O Devass oferece serviços individuais e coletivos (palestras, rodas de conversas, oficinas, etc.). Para mais informações e para realização de agendamentos, os servidores podem entrar em contato com o departamento por meio do telefone (94) 98403-2786, do email: [email protected] ou comparecer ao espaço localizado na Rua 9, bairro Cidade Nova, no prédio do antigo Colégio Fênix.

 

Texto: Messania Cardoso

Fotos: Lucas/Semed

Continue lendo

Trending